25/11/2009

Erro de "senha" no Linux Educacional 2.0


Atualizada em 14/06/2011


Bem, eu não sei quanto a você, mas eu cansei de ir nas escolas que tinham a versão 2.0 do Linux Educacional original do MEC, que da erro quando digita-se a senha.
A solução já é conhecida (Erro no Login do Linux Educacional), mas depois de algum tempo de uso o erro retorna.
O que fazer?

Basta criar um script que contenha o seguinte conteúdo:

#!/bin/bash
rm /var/log/*

E registrar esse script para que ele seja executado automaticamente a cada inicialização do Linux Educacional.

Dica: Crie o script em todas as máquinas e não apenas nas que apresentam o erro, e de adeus a esse erro.

Espero ter ajudado.
;-)

Script automático no Linux

Atualizada em 24/05/12

Aqui vai uma dica que adaptei da internet, postada originalmente por Joel da Rocha Laranjeira Júnior.
Os comandos abaixo devem ser executados em um Konsole root.
Para iniciar um script automaticamente no carregamento do Linux Educacional, é preciso colocar o script desejado no diretório /etc/init.d e atualizar os links simbólicos com o comando abaixo:

# update-rc.d nome-do-script defaults

Se o comando for bem sucedido, uma tela semelhante a abaixo será exibida.

Dessa maneira, o script será executado durante o carregamento do linux, independente do usuário.

Outra opção é...

Os comandos abaixo devem ser executados, preferencialmente, em um konsole do próprio usuário.
Clique com o botão direito do mouse sobre uma área vazia da sua área de trabalho, escolha a opção Executar Comando ... ou simplesmente (Alt+F2). Digite konsole e tecle enter ou clique em OK.

Para que esse script seja carregado apenas no login do KDE (ambiente gráfico) de um determinado usuário, ele deve ser colocado no diretório /home/USUÁRIO/.kde/Autostart (troque USUÁRIO pelo nome do usuário ex: /home/aluno1/.kde/Autostart).
Diferente da maneira anterior, não é necessário atualizar nada, apenas finalize a sessão atual e logue novamente que o script será executado automaticamente.

Caso tenha alguma dúvida de como fazer um script, leia a postagem Scripts, você ainda vai precisar deles.
;-)

Scripts, você ainda vai precisar deles.

Quem necessita utilizar o modo texto para manutenção, bloqueio, configuração ou outra função onde exija digitar um comando gigantesco e de difícil memorização ou uma seqüencia de comandos que demoram para liberar o prompt;
Sem esquecer que esse procedimento terá que ser repetido em mais de um computador.
Se você já passou por isso, então você certamente vai aderir aos scripts.
O Script nada mais é que um arquivo que realiza comandos de forma seqüencial e automática.
Vou mostrar como criar um script básico em 3 etapas via terminal.
Logue um Terminal root.

1ª Etapa

Crie o seu arquivo (script) como o comando touch, como no exemplo:

# touch criar_aluno.sh

Uma dica é salvar o arquivo com a extensão .sh.

2ª Etapa

Agora você precisa editar (nano) o arquivo para inserir os comandos que ele deve executar.

# nano criar_aluno.sh

Coloque sempre na primeira linha "#!/bin/bash" (sem as aspas), em seguida coloque um comando por linha.
No meu exemplo abaixo eu vou pedir para ele criar o perfil (adduser) aluno e registrá-lo nos grupos (gpasswd -a) necessários para poder utilizar os recursos do sistema.

#!/bin/bash

adduser aluno

gpasswd -a aluno dialout
gpasswd -a aluno cdrom
gpasswd -a aluno floppy
gpasswd -a aluno audio
gpasswd -a aluno video
gpasswd -a aluno plugdev
gpasswd -a aluno powerdev
gpasswd -a aluno netdev

Salva e feche o arquivo.

3º Etapa

Ajuste as permissões (chmod) do seu script, no exemplo, o arquivo receberá a permissão 755:

# chmod 755 criar_aluno.sh

Está pronto.

Para utilizar seu script, ainda no terminal, é necessário executar o arquivo (./), através do comando abaixo:

# ./criar_aluno.sh

Aprecie com moderação.
;-)

13/11/2009

Cuidado ou Neurose?

Como não gosto de alunos com poder de administrador, penso que o poder de root dado ao primeiro usuário criado no Linux Educacional 3.0 e aos demais membros do grupo admin, deixa o sistema mais vulnerável do que deveria.
Para isso, vou mostrar como remover o poder de administrador do primeiro usuário criado no Lnux Educacional 3.o e dos demais membros do grupo admin.

Lembrando que todos os comandos a seguir devem ser executados em um terminal logado como root (23/10/2009).

Primeiro vamos tirar a permissão do primeiro usuário "aluno" (exemplo).

# gpasswd -d aluno adm
# gpasswd -d aluno admin

Agora vamos aumentar um pouco a segurança (cuide maiúsculas e minúsculas).

# echo 'Defaults env_reset' > /etc/sudoers
# echo 'root ALL=(ALL) ALL' >> /etc/sudoers

Espero que seja útil essa dica.

Para criação de novos usuários e registro deles nos devidos grupos, leia a postagem do dia 30/09/2009.
;-)

23/10/2009

Ambiente Gráfico do root

Atualizada em 07/02/2012

Às vezes a edição de um arquivo de sistema, a configuração de alguns detalhes do Ambiente Gráfico e/ou a atualização do Navegador de Internet, ficam mais rápidos e práticos quando realizamos de dentro do próprio Ambiente Gráfico.
Mas se tem uma coisa que me aborrece é ter que ficar digitando a senha do root a cada aplicativo carregado ou ter que clicar no botão "Modo Administrador", para poder realizar as alterações.

Eu prefiro carregar o Ambiente Gráfico do root.

Logue um terminal como root e digite o comando abaixo:

# startx -- :1

Esse comando carrega o Ambiente Gráfico do usuário root, às vezes ele fica visualmente diferente dos demais, mas nunca mais vai te pedir a senha de root, seja para abrir um novo konsole apartir dele, utilizar o adept_manager para instalar/remover pacotes e programas ou até mesmo o konqueror para limpar aqueles vírus inconvenientes dos pendrives.
;-)

Terminal root

Atualizada em 08/02/2012

Na Versão 2.0 do Linux Educacional distribuída pelo MEC, praticamente todos, depois de algum tempo de uso surge um problema de carregamento do Ambiente Gráfico.
A solução é uma manutenção realizada pelo usuário root, que só pode ser feita via terminal, pois o konsole só pode ser acessado de dentro do Ambiente Gráfico o que nesse caso não é possível.
Para não causar confusão com outra postagem sobre konsole root, vou mostra nesta como logar um TERMINAL root.
Este procedimento pode ser feito a qualquer momento, não é necessário que o problema citado acima ocorra para que você tenha que usar essa função.

Pressione simultaneamente Ctrl+Alt+F1 sua tela sairá do Ambiente Gráfico e ficará preta com a mensagem da figura abaixo:

Nesse exemplo "linux-educacional" é o nome da máquina, por isso pode variar.

Para as versões 1, 2 e 3 do Linux Educacional

Digite root e tecle enter, será solicitada a senha (Password) do usuário root, como mostra a figura abaixo:


ATENÇÃO nessa parte, durante a digitação da senha, nada será exibido na tela, mas o computador esta registrando todos seus toques no teclado. Basta digitar a senha e teclar enter que uma mensagem semelhante à imagem abaixo será exibida:
Para usuários do Linux Educacional, a senha pode ser conseguida entrando em contato com o NTE de sua região ou NTM de sua cidade.


Para a versão 4 do Linux Educacional

Digite professor e tecle enter, será solicitada a senha (Password) do usuário professor.

 ATENÇÃO nessa parte, durante a digitação da senha, nada será exibido na tela, mas o computador esta registrando todos seus toques no teclado. Basta digitar a senha e teclar enter


Digite sudo su e tecle enter.


 Redigite a senha do usuário professor.



Pronto você conseguiu acesso ilimitado ao sistema, mas MUITO CUIDADO, agora você pode comprometer o sistema se não souber o que está fazendo.

PS: Essa maneira de acessar o sistema pode ser usada por qualquer usuário registrado no sistema. A diferença e que usuários não pertencentes ao grupo root terão seu Prompt com o símbolo "$", já os pertencentes ao grupo root o símbolo é o "#".
;-)

19/10/2009

Configurações de rede via terminal/konsole

Essa postagem visa ajudar que está com problemas de configuração das conexões do Linux Educacional.
Vou tratar aqui o arquivo Interfaces do diretório /etc/network/, ou seja, o arquivo que guarda as configurações das conexões.
Imagina a situação: Você configura a conexão e ela funciona normalmente, até você reiniciar o computador, depois disso é como se você não tivesse configurado nada.
Já aconteceu isso com você?
Comigo já.
Solucionei esse problema, editando o arquivo via konsole.
Para isso logue um terminal ou konsole como root e digite:

# nano /etc/network/interfaces

O Linux Educacional 1.0 tem por padrão as seguintes configurações:

auto lo
iface lo inet loopback
address 127.0.0.1
netmask 255.0.0.0

allow-hotplug eth0
iface eth0 inet dhcp

Traduzindo... O MEC manda por padrão a placa eth0 (cabo) configurada para receber um IP (Internet Protocol) automaticamente (DHCP) quando conectado um cabo de rede que esteja conectado a um servidor DHCP (modem ou router).
Mesmo assim às vezes você conecta o cabo e não consegue a conectividade. Isso pode acontecer porque a eth0 pode não estar habilitada.
Para solucionar, acrescente a linha auto eth0 ao final do arquivo, que ficará com as seguintes linhas:

auto lo
iface lo inet loopback
address 127.0.0.1
netmask 255.0.0.0

allow-hotplug eth0
iface eth0 inet dhcp
auto eth0

Dessa forma o sistema habilitará a placa a cada reinicialização do sistema.

O Linux Educacional 2.0 tem por padrão as seguintes configurações:

auto lo
iface lo inet loopback
address 127.0.0.1
netmask 255.0.0.0

allow-hotplug eth0
iface eth0 inet dhcp

iface wlan0 inet dhcp
wireless-essid proinfo
wireless-key s:12345

O problema de habilitação continua, é comum encontrar escolas com máquinas com configuração padrão e roteadores configurados segundo um dos manuais que roda pela internet, que orienta a setagem da chave de segurança em qwe12.
A solução para isso é deixar a configuração do arquivo interfaces igual a do roteador, ou seja, ou altera-se o roteador para 12345 ou as máquinas para qwe12, você escolhe.

Recomendo que o arquivo da versão 2.0 tenha as seguintes linhas:

auto lo
iface lo inet loopback
address 127.0.0.1
netmask 255.0.0.0

allow-hotplug eth0
iface eth0 inet dhcp
auto eth0

iface wlan0 inet dhcp
wireless-essid proinfo
wireless-key s:12345
auto wlan0

Um detalhe, se na sua realidade é necessário utilizar um IP fixo (estático), você deverá alterar a seguinte linha:

iface eth0 inet dhcp

por

iface eth0 inet static

E acrescentar as seguintes linhas com as configurações da sua rede.

# IP da máquina
address 192.168.0.200
# máscara de subrede
netmask 255.255.255.0
# roteador ou modem de acesso à internet
gateway 192.168.0.1

As linhas com sustenido (#) se adicionadas ao arquivo não irão interferir na configuração, pois o # serve justamente para comentar as linhas subsequentes.
Essas linhas podem ser aplicadas tanto na eth0 quanto na wlan0.

Importante: Para efetivar e testar as modificações é necessário reiniciar a rede, digite o seguinte comando ainda como root:

# /etc/init.d/networking restart

Espero ter ajudado
;-)

Bloquear Orkut

Pode parecer hipocrisia da minha parte, afinal sou usuário do Orkut, mas não é.
Fiz essa postagem, pois muitas escolas solicitam o bloqueio do Orkut em suas Salas de Aulas Digitais.
Penso que censurar não é educar.

Entretanto, diante de do fato que para usar o Orkut é necessário ter 18 anos ou mais (veja a figura abaixo), idade essa incompatível com a maioria dos estudantes do Ensino Fundamental e Médio, o bloqueio é justo.

Afinal pelo mesmo motivo não se pode vender bebidas alcoólicas nas escolas.

Mas chega de papo e vamos ao que interessa.


O bloqueio pode ser feito de duas maneiras, detalhes na postagem Restrição de acesso a sites inadequados, eu opto pelo bloqueio via arquivo host (saiba mais), para os usuários do Linux Educacional, é muito simples.

Baixe este arquivo (hosts) com os bloqueios já registrados.
Agora, logado como root, execute o seguinte comando:

# cp /home/aluno/Desktop/hosts /etc/hosts

Lembrando que o diretório /home/aluno/Desktop é o diretório de download onde o arquivo hosts foi baixo.

Pronto o Orkut está "bloqueado".

Quem quiser bloquear outros sites inadequados, pode usar um script que fiz (bloquear).
;-)

30/09/2009

Problema com o audio do Linux Educacional

Essa eu descobri sem querer, durante a instalação do Linux Educacional 2.0 em um computador que não os enviados pelo MEC, pois esses tem CDs/DVDs de restauração.
Após a instalação bem sucedida, criei o perfil aluno (adduser aluno), pois o Linux Educacional 2.0 cria o perfil professor automaticamente, loguei o perfil professor e tudo certinho, quando loguei o perfil aluno para testá-lo, surgiu a seguinte mensagem de erro:


Não que eu seja um experte em linux ou em inglês, mas me chamou atenção a parte (Permission denied), que não é muito difícil de traduzir... lembrei então do que o Professor Leonardo da 4Linux disse no curso: "Tudo no Linux é um arquivo... e as permissões dos arquivos trarão muitos problemas e também muitas soluções", eita boca maldita... brincadeira.
A solução é simples, e por sua vez óbvia, basta dar permissão ao usuário criado (aluno no meu caso) para acessar os arquivos do grupo audio.
Você deve estar pesando... Não diga! Mostra logo como faz isso.
Só que já mostrei em outra postagem, que trata sobre criação/restauração de um Perfil/Usuário.
Faça o descrito na etapa "Registrando o novo usuário aos grupos dos recursos básicos (usado para reparar uma falha de permissão no dispositivo de som de um perfil)" e lembre-se... não deixe o chat logado apenas para pegar a presença.
Leo valeu por nos ensinar a pescar.

;-)

Criar/restaurar um Usuário/Perfil no Linux Educacional

Atualizado em 13/04/2010

Provavelmente já te pediram para arrumar a bagunça que as "crianças" fazem nos ícones/painéis. Vou mostrar como "arrumar" a bagunça de maneira rápida, ou melhor, deixar como era antes da bagunça.
Eu explico, o que vou detalhar a seguir é como criar um perfil e setar os grupos para que o novo usuário tenha as mesmas permissões e grupos que o usuário primário (aquele criado durante a instalação do Linux Educacional). Isso também pode ser interpretado como restaurar um perfil, porém os dados pessoais deste perfil serão apagados, esse fato não é muito preocupante pois estamos falando de computadores não particulares, o que nos faz pensar que os dados neles contidos não são importantes.
Mãos à obra...
Logue um terminal como root (COMO LOGAR UM TERMINAL ROOT) e lembre-se, o perfil que será apagado não pode estar logado.

-> Apagar perfil com problema/bagunça (para a criação de um perfil novo, pule essa etapa) e sua pasta.
Digite no ternimal o comando para remover perfil seguido do nome do perfil a ser removido, no exemplo usarei o perfil aluno.

# deluser aluno
# rm -r /home/aluno (esse comando apaga os arquivos do perfil deletado, não é obrigatorio)

-> Criando novo perfil
Ainda no terminal digite o comando para criar perfil e o nome desejado para o novo perfil.

# adduser aluno

O sistema vai te pedir uma senha e a confirmação da mesma, forneça-lhe essa informação seguido de ENTER.


Agora ele vai solicitar 5 informações não essenciais, basta teclar o ENTER por 5 vezes sem digitar nada, o sistema então lhe pedirá que confirme as informações que você digitou, ou não, tecle "S" e novamente ENTER.


O novo perfil está pronto e com a área de trabalho limpa e organizada.

-> Registrando o novo usuário aos grupos dos recursos básicos (usado para reparar uma falha de permissão no dispositivo de som de um perfil).
Primeiro vamos consultar a quais grupos o novo usuário tem acesso, com o seguinte comando, ainda no terminal:

# groups aluno

O sistema lhe retornará, provavelmente apenas o grupo com o nome do próprio usuário, como na figura abaixo.


Agora com o comando de registrar usuário em um grupo (gpasswd -a) seguido do usuário (ex. aluno) e do grupo ao qual o usuário vai ser registrado (ex. audio), fica assim:

# gpasswd -a aluno audio

O sitema retornará uma mensagem confirmando a operação


Repita o passo acima descrito com todos os grupos que você deseja adicionar. No Linux Educacional 1.0 e 2.0 os grupos básicos são: dialout, cdrom, floppy, audio, video, plugdev, powerdev e netdev, já na versão 3.0 os grupos básicos são: dialout, cdrom, floppy, audio, video, plugdev, fuse e dip.
Depois de repetir o passo acima descrito, alterando apenas o grupo, o sistema deverá exibir uma tela semelhante a mostrada abaixo. Dica, para não ter que digitar todo o comando novamente, tecle a seta direcional para cima e altere o nome do grupo com o backspace.


Caso você ache interessante registrar o usuário professor ao grupo aluno, para que ele tenha permissão de leitura e/ou acesso aos arquivos desse grupo, faça as devidas alterações ao comando descrito acima, e chegará ao seguinte comando:

# gpasswd -a professor aluno

;-)

Sumiu o "Iniciar" do linux Educacional?

Atualizada em 19/10/2009

Essa é clássica, lá da época do windows 98, e no Linux Educacional não poderia ser diferente.

Você loga o usuário e o painel mudou de lugar, aumentou, sumiu ou os ícones desapareceram, calma, é mais simples que parece.
Mas acredito que o mais incomum é sumir o "Iniciar" (figura abaixo). Por isso vou focar a postagem neste item.

Para solucionar isso, basta clicar com o botão direito sobre o painel na região onde estava o "Iniciar" até que o menu da figura abaixo seja exibido, então escolha "Adicionar mini-aplicativo ao painel...".


Escolha o "KBFX Spinx" e clique em "Adicionar ao Painel".


Pronto o "Iniciar" retorna para seu lugar de origem.

Vou aproveitar a postagem para outro mini-aplicativo.
Caso não apareça os aplicativos em execução no painel, aquelas barrinhas que clicamos para reexibir um aplicativo minimizado, repita os passos acima, para o mini-aplicativo "Barra de Tarefas".

27/05/2009

Acessar arquivo *.ISO sem queimar a mídia no Linux

A utilização dessa dica pode ter várias aplicabilidades. Entre elas, acessar informações de um DVD, sem utilizar um drive leitor de DVD.

É necessário conseguir ou produzir um arquivo de imagem (.iso) através de download ou cópia do original. Não vou detalhar como criar a imagem, mas sim como utilizá-la.

Os diretórios e arquivos na cor vermelha são exemplos, você deverá personalizar para a sua realidade.
Os comandos citados a seguir são todos executados em konsole logado como root.

O meu arquivo de imagem está no desktop (/home/aluno/Desktop/cd40h.iso).

Crie o diretório onde será montado o arquivo com o comando:

# cd /mnt/
# mkdir cd40h
O diretório /mnt/cd40h é uma sugestão.

Monte o arquivo de imagem no diretório criado com o comando:

# mount -o loop /home/aluno/Desktop/cd40h.iso /mnt/cd40h

Pronto, navegue até o diretório /mnt/cd40h/ e os arquivos estarão lá dentro para serem acessados.

Já ia me esquecendo, a cada reinicialização ele deve ser remontado (mount ...), mas o diretório permanece criado.

06/04/2009

Configurando a Rede (cabo/eth0) no Linux Educacional

Além do acesso à Internet, várias funcionalidades dependem que sua conexão de rede esteja devidamente configurada.
No Linux Educacinal (todas as versões), a rede já vem pré configurada pelo MEC, mas é recomendável que seja redefinida, podendo assim acessar, criar, editar e imprimir arquivos pela rede (entre outras funcionalidades).

Essa postagem tratará de configuração manual da placa eth0 (cabo), sem necessidade de DHCP.
Para configurar a conexão de rede no Linux Educacional, é necessário termos algumas informações em mãos, tais como: Gateway, DNS, e o Nome para o Computador (opcional, mas recomendável).

Acesse o Centro de Controle:


Clique no "+" ao lado de Internet & Rede e selecione Configurações de Rede, maximize a janela, para que a opção Modo Administrador fique visível, clique nela e digite a senha do root.

Clique sobre eth0 e depois em Configurar Interface, se a interface eth0 esteja com
Estado desabilitado, clique em Habilitar Interface.


Agora é que vem a diversão...
Lembra dos dados necessários citados anteriormente?
Esta na hora de usá-los.
Com base no seu Gateway (exemplo: 10.0.0.1) você vai estipular um Endereço IP para cada computador da sua rede, alterando o último conjunto de números, como no exemplo:
  • Micro01 = 10.0.0.101;
  • Micro20 = 10.0.0.120;
  • e assim sucessivamente.
Números altos de Endereço IP não costumam dar conflitos com as máquinas que necessitarem do DHCP (IP automático fornecido pelo roteador/gateway).

Selecione Manual e clique em Opções Avançadas.


Digite o Endereço IP, Escolha a Máscara 255.255.255.0 (exemplo), marque a opção Ativar quando o computador iniciar, digite o Broadcast 10.0.0.255 (exemplo) e o Gateway 10.0.0.1 (exemplo). Clique OK e Aplicar.


Mude para a aba Domínios (DNS) e digite o Nome do Computador no campo Host name.


Na parte Servidores de nomes, clique em Adicionar e na janela que abriu digite o DNS primário ou único. Caso tenha um DNS secundário repita essa etapa. Se não souber o DNS, digite o mesmo endereço que usou no Gateway (último recurso).


Para finalizar, clique em Aplicar e aguarde enquanto o rede é reinicializada.

Agora você, provavelmente, já deverá conseguir acessar a internet (conexão sem Proxy).
O ambiente de rede também já deverá estar acessível. Caso não esteja, verifique a configuração do Samba.

A configuração do Proxy e da Rede (wireless) eu posto em breve.

13/02/2009

A primeira impressão ...

O recém lançado Linux Educacional 3.0 difere das outras versões, principalmente, por ser baseado no Ubuntu e não no Debian.

Ai vem a inevitável pergunta... Qual é o melhor?
Como não tenho tanta experiência nesse aspecto, vou deixar que o Ronaldo Melo Ferraz explique melhor isso em: Por que o Ubuntu e não o Debian?

Mas vamos ao que interessa.
Pelo pouco que explorei o Linux Educacional 3.0, percebi 16 pacotes adicionados e 16 pacotes removidos em relação às versões 1.0 e 2.0.
As mudanças significativas, na minha opinião, foram:
  • BrOffice 2.4, nas outras ISOs era aversão 2.0;
  • Samba (cliente+servidor), nas versões anteriores tinha apenas o cliente;
  • Wine (emulador) que possibilita instalar e executar programas windows;
  • Audacity e Kdenlive, editores de som e vídeo, respectivamente;
  • Kgeography e Kwordquiz - programas/jogos educacionais.
Entretanto, senti falta de alguns pacotes como: Gcompris (kidsgames), Ksudoku e TuxMath - programas/jogos educacionais.
Mas isso não compromete a nova versão, pois todas as ISOs anteriores também não trazem a variedade de aplicativos e jogos educacionais que já vem instaladas pelo MEC no PC.

A versão 3.0 do Linux Educacional parece ter aprendido com seus antecessores, prova disso, é que ele é facilmente visualizado pelo windows através da rede.
Contudo, uma nova caminhada inicia-se, onde o sucesso ou não dessa versão será o reflexo da soma de esforços dos Técnicos do Proinfo (desenvolvimento) com o resultado da ação dos Multiplicadores dos Núcleos de Tecnologias (capacitação).

Já ia me esquecendo, percebi que nessa versão existem 2 acessos root distintos, um apenas para o konsole (senha padrão) e o outro apenas para o Ambiente Gráfico (senha do usuário cadastrado na instalação). Estranho!?!?
Fiz algo errado?
É assim mesmo?

11/02/2009

Linux Educacional 3.0

Atualizado em 13/09/10

Já está disponível a versão 3.0 do Linux Educacionalem CD ou em DVD.
Você pode baixar todas as versões do Linux Educacional através do Webeduc ou diretamente pelos links abaixo:
Caso tenha problemas com os links acima, por favor deixe um comentário.

Postarei em breve as novidades, curiosidades e algumas telinhas dessa versão.